Seja bem vindo ao nosso fórum!

Para escrever seu primeiro texto, role a página e clique em “Você e sua poesia”.

Caminho de navegação do fórum - Você está aqui:Recanto da PoesiaPoesia social: Poesia socialO mordomo
Please or Cadastrar to create posts and topics.

O mordomo

Toda a culpa é do mordomo.

Essa ladainha me dá sono,

Mas meus olhos não estão fechados,

E veem nos horizontes um quadro mal pintado.

Para mim está difícil dormir com esse barulho.

Nessa terra aterrada

Ninguém tem culpa de nada

Toda a culpa é do Estado e do entulho.

 

Estado, sociedade e mercado.

O jogo não era tão desequilibrado.

Agora passeiam as cartas marcadas

Jogadas para tudo e para nada.

 

Nos novos tempos, os velhos moços

Colocam o mundo no bolso

E por baixo dos panos

Arrastam tudo e causam danos.

 

Em qual parte ocidental ou oriental,

Com tanta riqueza natural,

O povo vive tão mal

Como aqui nesse quintal?

 

Marcada à parte, a arte de regular está sendo desregulada.

E no caminho do deus dinheiro

Não surge um camelo pra limitar a caminhada.

 

Quem vai dizer que a eco “non” mia mais alto?

Ela corrompe, envenena e toma de assalto.

Tornando natural o artificial,

Ela vai promovendo na pirâmide social

Uma diferença abissal.

 

A eco não prioriza a bio.

Dela só escapa o que ela não viu.

Ela é mecânica, robotizada,

Sem alma, sem nada

Que possa compreender a vida,

Por isso queima tudo para se manter aquecida.

Ela não faz eco para os gritos da vida no meu mundo

A eco ecoa para o touro pisar fundo.

 

Lia has reacted to this post.
Lia

Muito linda penteada de metáforas .Excelente contorno de nuances

Mensagem clara escrita de forma hábil e elegante.

admin has reacted to this post.
admin

2024 © Recanto da poesia - Todos os direitos reservados. | Políticas de privacidade